13 de julho de 2018

Martha Vasconcellos - Miss Bahia, Miss Brasil e Miss Universo 1968

Há 50 anos a Miss Brasil Maria Martha Cordeiro Vasconcellos era eleita no Miami Beach Auditorium, na Flórida, Miss Universo de 1968. Quando o apresentador Bob Baker anunciou o resultado Martha tomou um susto, pois não estava acreditando. Martha, que foi a segunda brasileira a vencer o concurso, disputou o título com mais 65 candidatas. A produção do concurso colocou a Bossa Nova como tema central e as candidatas no palco cantaram em português Mas que Nada, de Jorge Ben. Martha Vasconcellos foi coroada pela Miss Universo de 1967, a norte-americana Sylvia Louise Hitchocock. A comissão julgadora foi composta pelo jornalista japonês Hideo Den, embaixatriz da Guiana nos Estados Unidos Sara Carter, fotógrafo canadense Yousuf Kars, o coordenador do concurso de Miss Brasil Cid Varela, Miss Universo 1954 Miriam Stevenson Upton, o jornalista norte-americano Earl Wilson, o publicitário venezuelano Eswin Acosta Rubio, a atriz israelense Orna Porat e o artista plástico sino-americano Dong Kingman. As 15 semifinalistas foram:

6 de julho de 2018

Gráfico da Semana


Julho é o sétimo mês do ano no calendário gregoriano, tendo a duração de 31 dias. Julho deve seu  nome ao Cônsul e ditador romano Júlio César (100-44 a.C.) sendo antes chamado Quintilis em latim, dado que era o quinto mês do calendário romano, que começava em março. Também recebeu esse nome por ser o mês em que César nasceu. Julho começa (astrologicamente) com o Sol no signo de Câncer e termina no signo de Leão. Na Igreja Católica julho é dedicado ao Preciosíssimo Sangue de Jesus.

4 de julho de 2018

Sebastião Paraná - Biografia

Sebastião Paraná de Sá Sottomaior nasceu em 19 de novembro de 1864 em Curitiba. Filho do Capitão Inácio de Sá Sottomaior e neto do Coronel de milícia Inácio de Sá Sottomaior. Seus primeiros ensinamentos foram na escola do professor Miguel Schleder, conhecida na época, pelos altos padrões rígidos, e a conclusão do curso primário no Colégio Curitibano, então sob a direção do professor Nivaldo Braga. Formou-se na cidade do Rio de Janeiro na graduação de Direito e em Ciências Políticas e Sociais. Exaltado patriota, por ocasião da Revolta da Armada, alistou-se no batalhão Benjamin Constant para combater os inimigos da República. Finda a campanha, recebeu a patente de Capitão Honorário do Exército, graças a sua impoluta conduta, disciplina e obediência às leis. Ao retornar a Curitiba, foi nomeado Secretário da Junta Comercial do Paraná. Em dezembro de 1905 casou-se com a jovem Elvira da Costa Faria. Exerceu diversos cargos, entre concursados e indicações, como: professor catedrático de Geografia e Corografia do Brasil, no Ginásio Paranaense (atual Colégio Estadual do Paraná) e, interinamente, a cadeira de História Universal; professor da Escola Normal de Curitiba; professor dos colégios secundarista Paternon, Rio Branco, Elysio Vianna e Progresso; professor da Universidade Federal do Paraná; exerceu interinamente, a Superintendência Geral do Ensino; diretor do Ginásio Paranaense, foi do Conselho Superior do Ensino Público no Paraná, agente auxiliar do Arquivo Nacional, no Paraná. Como representante do Paraná, integrou a comissão encarregada de receber trabalhos para o Congresso Internacional de História da América. Pertenceu ao Centro de Letras do Paraná e foi homenageado pela Academia Paranaense de Letras como o fundador da Cadeira nº 2 desta instituição. Juiz de Direito da Capital, ocupou cargos de diretor do Núcleo Central, diretor da Caixa Escolar e de Estudos Doutrinários. Sócio correspondente em vários institutos brasileiros e estrangeiros, um dos fundadores da Federação Espírita do Paraná, entre outras. Como jornalista, foi redator de A República e de O Município e diretor do Jornal da Tribuna. Exerceu a legislatura como Deputado no Congresso Legislativo do Paraná para o biênio 1902/1903. Em 1928 foi nomeado Diretor da Secretaria do Interior e Justiça do Paraná, tendo se exonerado, então, da cátedra que exerceu por quase 30 anos. Por motivo de saúde, em 1930, a pedido, foi transferido para a direção do Museu Paranaense e Biblioteca Pública do Paraná, onde foi aposentado em 1931. Destacando-se no estudo da Geografia e História, Sebastião Paraná publicou obras que representam o melhor que se possuía na matéria e demais temas. São de sua autoria os seguintes livros:
- Esboço Geográfico do Paraná (1889);
- Corografia do Paraná (1899);
- O Brasil e o Paraná (1903 e relançado em 1925 e 1941);
- Guia do Comerciante (1909);
- Os Estados da República (1911);
- Exultação (1913);
- O Alcoolismo e o Jogo (1913);
- Galeria Paranaense (biografias de 1922);
- Países da América (1922);
- Países da Europa (1926);
- Efemérides da Revolução de Outubro de 1930 no Estado do Paraná (1931).
O livro O Brasil e o Paraná alcançou sucesso de venda em 1941 quando foi relançado a 22ª edição da obra.
Sebastião Paraná faleceu a 08 de março de 1938, em sua terra natal, aos 73 anos e três meses.  

20 de junho de 2018

Misses Eleitas nos Anos em que o Brasil Venceu a Copa do Mundo






Olá meus queridos amigos e amigas, tudo bem com todos? Vocês se recordam das misses que foram eleitas nas cinco vezes em que o Brasil foi campeão mundial de futebol? Pois bem, estão todas elas reunidas aqui: Miss Brasil, Miss Universo, Miss Mundo, Miss Beleza Internacional e Miss Terra.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...