2 de dezembro de 2016

Gráfico da Semana

Conta a história que Pepita, uma pobre menina mexicana, nada possuía para presentear o Menino Jesus naquela noite de Natal. Enquanto caminha em direção à capela, juntamente com seu primo Pedro, seu coração estava mais cheio de tristeza do que de alegria. Para consolá-la Pedro teria dito: "Eu tenho certeza, Pepita, mesmo que o mais humilde presente, se for dado com amor verdadeiro, será valioso diante dos olhos de Jesus". Não sabendo exatamente o que fazer, Pepita dirigiu-se à beira da estrada e foi colhendo ramos de folhagens comuns e arrumando-as na forma de um ramalhete. Ao olhar aquele amontoado de mato que iria levar como presente ao Menino Jesus, sentiu-se ainda mais triste. Enxugou as lágrimas ao entrar na capela do pequeno vilarejo, ao se aproximar do altar, lembrou-se das palavras de seu primo Pedro e encheu seu espírito de amor, ao colocar os ramos ao pé do presépio. De repente as folhagens verdes foram se transformando em flores de coloração vermelho brilhantes e todos que ali estavam tiveram a certeza de estar assistindo a um milagre diante de seus olhos. A partir daquele dia, aquelas flores vermelhas ficaram conhecidas como flores de Noche Buenas, ou Poissentya e florescem a cada ano durante a época do Natal.

30 de novembro de 2016

"Eu não me Achava Bonita", diz Miss Brasil 2016

Primeira negra a ganhar o concurso em 30 anos, Raissa Santana conta sobre a infância: 'era uma menina muito tímida, não me achava bonita e sofria bullying'.

Para muitas meninas, vencer o bullying e a timidez já é uma vitória. Passar por isso na infância e ganhar o título de Miss Brasil é uma conquista maior ainda. E é justamente esse êxito que a baiana radicada no Paraná Raissa Santana, de 21 anos comemora. Natural de Itaberaba na Bahia, ela mudou-se com a família para São Paulo com apenas um ano de idade e aos seis foi morar em Umuarama. E foi no Paraná que ela viu a vida se transformar. Raissa venceu todas as etapas do concurso pelo Estado até conquistar o Miss Brasil 2016, no último dia 01 de outubro.
Durante a infância, porém, ela nem imaginava que podia ser eleita a mulher mais bonita do país. "eu era uma menina muito tímida, sofria bullying por ser negra e diferente e não me achava bonita", conta. Foi aos 15 anos, enquanto trabalhava numa academia, que ela recebeu um convite de um amigo para participar de um concurso de beleza. "Minha primeira reação foi não aceitar. Imagina, eu nunca achei que podia", brinca.
Vencido o primeiro obstáculo - o de se olhar no espelho e achar que era capaz - Raissa decidiu participar de uma disputa municipal de beleza. Em 2015 venceu sua primeira prova e, como prêmio, recebeu bolsas de estudo, tratamentos estéticos e o direito de participar do Miss Paraná, com todas as despesas pagas. Foi quando sua vida começou a dar uma guinada.
Filha de uma empregada doméstica e com quatro irmãos, ela sempre teve que ajudar em casa e começou a trabalhar desde muito jovem. "Vencer os concursos e poder participar do Miss Brasil é uma amostra de que o mundo dá voltas. Fico muito feliz de estar vivendo isso", conta. Para ela, a própria experiência é importante para incentivar outras meninas que querem seguir o sonho de ser modelo e que também é possível se mostrar além da beleza.
Raissa concorda que o Miss Brasil tem apostado mais em um conjunto de qualidades para eleger a vencedora. "E eu quero mostrar que isso é possível. A beleza vai além da física. É preciso mostrar o que está por dentro do ser humano, ser uma pessoa confiável, simples e do bem", diz. É essa mensagem que ela quer passar para as pessoas como representante da beleza brasileira em 2016. "A beleza é independente da raça. Beleza é se sentir bem".
A estudante de Marketing avisa que vai precisar trancar a faculdade por um tempo, mas por um bom motivo. "Não tenho como falar dos projetos futuros ainda, mas por enquanto vou me preparar para o Miss Universo, que está bem perto. Ela vai representar o Brasil no concurso que acontece nas Filipinas, em janeiro. Até lá, ficará morando em São Paulo.

Fonte: Jornal Gazeta do Povo, 04 de outubro de 2016

21 de novembro de 2016

Miss Brasil 2016 Abre Nova Temporada de Beleza

Primeira negra eleita Miss Brasil em 30 anos, Raissa Santana desbanca o padrão de beleza dos concursos e abre uma nova temporada para pensar e olhar a beleza. 

Já faz tempo que não é necessário só "um rostinho bonito" ou ler "O Pequeno Príncipe" para participar dos concursos de beleza pelo mundo. Ser eleita é questão plural e foi dentro dessa premissa que a Miss Paraná Raissa Santana conquistou,  no último dia 01 de outubro, o título de Miss Brasil. Além de vencer o concurso nacional, quebrando um jejum de três décadas - a última coroa foi para Deise Nunes, em 1986 - a estudante de Marketing de Umuarama, noroeste do Paraná, mostrou que reúne as características para representar uma identidade nacional que vai além da beleza.
"Há muito tempo poderíamos ter uma miss negra no Brasil, mas não é só uma questão de beleza. Raissa mostrou que tem todas as qualidades para vencer um concurso nacional e nos dar esperança para ganhar os internacionais", conta George Sada, que detém algumas franquias de concursos estaduais de beleza no Paraná e já foi diretor artístico do Miss Brasil. Para ele, ela desfila bem, tem postura e já mostrou que é inteligente.
Sada considera que o fato de Raissa ter conquistado a coroa mostra que os próprios concursos estão mudando o seu padrão. "Ser Miss Brasil não é mais um sonho de Cinderela, hoje participar de um concurso vai além de ter destaque pessoal, é a oportunidade de ser uma pessoa mais atuante na sociedade", analisa.
Também por isso, de acordo com Sada, o interesse pelos concursos está voltando. "Desde a década de 1980 houve uma decadência dos concursos de misses, mas isso está mudando. Esse último já foi um dos melhores dos últimos tempos e a eleição da Raissa mostrou que eles podem, sim, eleger quem representa uma identidade nacional", salienta.
Nascida na Bahia, Raissa mudou-se para o Paraná ainda criança, com a família. É a filha mais velha de cinco irmãos e teve uma infância humilde. Antes de ser eleita Miss Umuarama e Miss Paraná 2016, Raissa participou do Miss Teen Umuarama em 2012, com 17 anos. Aos 21 anos é a segunda negra a ser eleita Miss Brasil. Agora ela vai participar do concurso Miss Universo, em janeiro, nas Filipinas. Para isso, vai trancar a faculdade de Markenting e mudar-se para São Paulo.

Fonte: Jornal Gazeta do Povo, 03 de outubro de 2016.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...