4 de setembro de 2012

Desafio Literário 2012 - O Livro de Ouro da Mitologia

Olá meus queridos amigos e amigas, tudo bem com vocês? Hoje trago nova resenha do Desafio Literário 2012 - by Vivi - com o tema Mitologia Universal. Descobri esse assunto através da primeira temporada da novela teen Malhação em 1995, com o personagem Héracles, interpretado pelo ator Danton Mello, onde ele citava o nome de alguns personagens da Mitologia. Achei aquilo o máximo e resolvi procurar na Biblioteca livros que tratassem desse assunto. Me apaixonei, e de lá para cá foram vários livros.
Mas o primeiro escolhido para a leitura desse mês já estava na minha lista há tempos e agora surgiu a oportunidade lê-lo. Foi uma descoberta muitíssimo agradável ler cada um dos personagens desse livro. Gostei demais e espero que vocês também apreciem a resenha. Agora sem mais delongas, vamos a ela.



Tema: Mitologia Universal
Mês: Setembro
Título: O Livro de Ouro da Mitologia – Histórias de Deuses e Heróis
Autor do livro: Thomas Bulfinch
Editora: Ediouro
Nº de páginas: 355

Quando vi a capa do livro, o que mais chamou a minha atenção foi...
A imagem da capa do livro que é de Netuno montado num cavalo.

O livro é sobre...
Histórias de Deuses e Heróis do Olimpo.

Eu escolhi esse livro porque...
É um assunto que me chama a atenção, cada personagem é deus de alguma coisa.

A leitura foi...
Contagiante e curiosa para saber sobre determinados personagens.

O personagem que eu gostaria de conhece é Narciso. Por quê?
Gostaria de saber se ele era tão bonito quanto as histórias contam para ele ter morrido de amor por si mesmo.

O trecho do livro que merece destaque:

Cupido e Psique em pintura de François Gérard

 “Tola Psique, é assim que retribuis meu amor? Depois de haver desobedecido às ordens de minha mãe e te tornado minha esposa, tu me julgavas um monstro e estavas disposta a cortar-me a cabeça? Vai. Volte para junto de tuas irmãs, cujos conselhos pareces preferir aos meus. Não lhe imponho outro castigo, além do deixar-te para sempre. O amor não pode conviver com a desconfiança.” – pág. 93

Eco e Narciso, que morreu de amor por si mesmo - pintura de Jonh William Waterhouse

 “Por que me desprezas, belo ser? – perguntou ao suposto espírito – Meu rosto não pode causar-te repugnância. As ninfas me amam e tu mesmo não pareces olhar-me com indiferença. Quando estendo os braços, fazes o mesmo, e sorris quando te sorrio, e respondes com acenos aos meus acenos.” – pág. 108

Penélope à espera do marido Ulisses que foi para a Guerra de Tróia

“Ulisses e Penélope não haviam gozado sua união por mais de um ano quando tiveram de interrompê-la, em virtude dos acontecimentos que levaram Ulisses à Guerra de Tróia. Durante sua longa ausência, e quando era duvidoso que ele ainda vivesse, e muito improvável que regressasse, Penélope foi importunada por inúmeros pretendentes, dos quais parecia não poder livrar-se senão escolhendo um deles para esposo. Penélope, contudo, lançou mão de todos os artifícios para ganhar tempo, ainda esperançosa no regresso de Ulisses. Um desses artifícios foi de alegar que estava empenhada em tecer uma tela para o dossel funerário de Laertes, pai de seu marido, comprometendo-se a fazer sua escolha entre os pretendentes quando a obra estivesse pronta. Durante o dia, trabalhava nela, mas, à noite, desfazia o trabalho feito.” – pág. 182

A nota para o livro:
4 – Gostei bastante

Sobre o autor: o escritor americano Thomas Bulfinch nasceu em 15 de julho de 1796 em Masschusetts em uma família bastante educada, de mercadores. Desde cedo dedicou-se a estudar mitologia, vindo a se tornar em sua época uma das mais respeitadas autoridades em assuntos mitológicos. Mesmo hoje, sua obra continua a ser referência nessa área, servindo tanto a estudiosos quanto leigos. O objetivo de Bulfinch era eliminar a aura de mistério que costumava envolver a mitologia, escrevendo uma obra ao alcance do grande público, mesmo das pessoas que não tivessem conhecimentos básicos de história antiga. Também acreditava que, sem um conhecimento básico de mitologia, grande parte da literatura não seria compreendida nem apreciada.
Seu trabalho mais famoso é O Livro de Ouro da Mitologia, de 1855. Esta obra veio a ser considerada a melhor introdução pára o conhecimento dosa clássicos de mitologia que estão entranhados em nossa literatura e cultura em geral.
Thomas Bulfinch faleceu em 27 de maio de 1867.

2 comentários:

  1. Quero muito ler esse livro. Considero a temática muito interessante!

    ResponderExcluir
  2. Vivi, o livro é muito bom, altamente recomendável.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...